30 dezembro 2013

Síndrome de Peter Pan?

By, [miss]Framboesa

Há uns anos atrás (muitos, devia ter uns 13 anos), numa passagem de ano fui com os meus pais até um restaurante que não fazia festa de Reveillon. Eu não tinha permissão para ir para a ramboia com aquela idade e normalmente o Reveillon era passado em nossa casa ou na casa dos meus tios, mesmo ao lado da nossa.Logo eu que sempre fui dadas a festarolas massivas.

(Lembro-me apenas de uma vez que fui com uma prima minha mais velha para uma festa na casa de amigos dela...tinha uns 14 ou 15 anos e fui toda produzida, de tal modo que ela dizia descaradamente aos amigos que eu tinha SÓ 15 anos numa de afastar qualquer aproximação...ihihihih) (Lembras-te R.?)

Na altura, no tal restaurante, encontrámos dois casais amigos, talvez na casa dos "quase 30" e palavra puxa palavra, lembro-me deles terem comentado que já tinham chegado àquela fase em que mais que uma festa de arromba, apreciavam passar esta data sossegados, a conversar com amigos, sem grandes festejos. E na altura reflecti nisso, pensei que um dia também atingiria esta serenidade na vida e acabaria por me deixar da mania dos confettis, dos festejos e afins.

Hoje vejo-me a caminho dos 37 e constato que...fiquei presa a 1990 porque continuo a adorar festarolas, brilhos, confettis e tudo o que venha. E logo tinha que juntar os trapinhos com outro da mesma estirpe.E não me parece que vá mudar nos próximos 30 anos. 
Xo,Xo, F.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Yep! Se fosse a vocês escrevia qualquer coisa, senão fico a pensar que eu é que tenho razão(Obrigada)