19 setembro 2013

5 gatos no motor

By, [miss]Framboesa
No último dia das férias passadas "lá em baixo", quando espreitámos pela varanda vimos que a gata que tinha tido gatinhos durante a nossa estadia estava a amamenta-los junto ao nosso carro. Até aqui tudo bem...o pior mesmo foi quando ela deu por nós a espreitar e vá de encaminhar os 5 gatinhos todos...para   dentro do capot do carro. 
Bonito. 
Ainda andámos a ver se conseguíamos tirar os bichanos para podermos ir para a praia, mas nada feito: fomos a pé a arrastar-nos para a praia pensando ingenuamente que entretanto eles saíam e tudo ficaria ok até ao fim do dia.

Engano. 

A gata achou que a área do motor do nosso carro seria um abrigo seguro para os gatinhos por isso mantinha-os aí escondidos.E nós precisávamos de regressar a Lisboa.

Tentámos de tudo: atrair a atenção com comida e leite, mas só a gata vinha, os filhotes mantinham-se dentro do capot do carro, escondemo-nos para só aparecer quando eles saíssem para mamar, mas eles assustavam-se e regressavam para o carro...chegou a uma altura que andavam gatos a sair e entrar das engrenagens do motor, e estávamos nós em locais estratégicos da varanda a fazer sinais um ao outro de quantos gatos víamos sair e entrar...Quando já só estava um gato dentro do capot tentamos retira-lo directamente mas era impossível: o gato era pouco maior que um rato e estava la encaixado sem que conseguíssemos retira-lo...despejamos mangueiradas de água com a esperança que ele assustado saísse, mas ele ficou ali, a tremer de frio e medo, a miar, mas não saía...Afastamo-nos com esperança que ele saísse por si, mas galo dos galos, dois irmãos vieram a procura dele e esconderam-se no carro também...

Nesta altura entrei num pranto, não íamos conseguir tirar os gatos, não íamos conseguir meter o carro a trabalhar com os gatos la dentro porque os íamos magoar (na melhor das hipóteses), fazia-me aflição os gatinhos a tremer de frio e de susto e a miar desalmadamente todos encharcados...depois de quase hora e meia de banhos de água lá conseguimos que um dos gatinhos espreitasse de modo a que eu o conseguisse tirar e passado mais um tempo conseguimos tirar o outro que saiu espontaneamente, mas estava tão desorientado que se deixou ficar a miar cheio de medo.

Encostei-os ao peito, magrinhos, indefesos, com o pelo branco sujo de óleo, encharcados em água até aos ossos, falei-lhes baixinho para os acalmar...apetecia-me ficar ali a mima-los, a aquece-los, a protege-los desta desventura.

É daqueles episódio que contado até poder parecer engraçado, mas não foi, nem por segundos. Foi angustiante.
Xo,Xo, F.

4 comentários:

  1. Xiii que cena. Foi um pequeno filme de terror, mas ainda bem que acabou em bem :)

    ResponderEliminar
  2. Tadinhos dos bichos. Imagino a tua aflição. Da próxima vez experimenta mexer na manete das mudanças... comigo tem dado resultado. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!Espero nao haver proxima vez...mas com litros d eagua eles nao se mexiam...fica a dica para a proxima (a tal que eu espero nao haver) :D

      Eliminar

Yep! Se fosse a vocês escrevia qualquer coisa, senão fico a pensar que eu é que tenho razão(Obrigada)