17 outubro 2011

Fora de ironias...a crise?

By, [miss]Framboesa

Fala-se na crise. Nas dificuldades. Nos dramas familiares. 
E acredito que ela exista e esteja cada vez mais acentuada. Tenho que acreditar, não é? Com estas medidas todas não há como não existir... Acredito que muita e cada vez mais gente tenha que pedir dinheiro para comer, fiado na mercearia, abdicar de medicamentos. Entristece-me imenso que tanta gente tenha chegado a este ponto.

No entanto em meu redor não "noto" a crise como ela é retratada na tv.
E dou-me com pessoas com diferentes níveis de vida, de diferentes estratos sociais, por isso nem posso dizer que estou a falar dos meus vizinhos da Lapa ou Quinta da Marinha (Nota: eu não moro na Quinta da Marinha nem lá perto...foi força de expressão...).

E não quero com isto vir para aqui bradar aos quatro ventos que a crise não me atinge! Não sei o dia de amanhã. Temo por ele. Tenho receio que a conjectura me tire o tapete debaixo dos pés. Acho que em nossa casa gerimos as nossas finanças de um modo equilibrado e são, mas hoje em dia já não sei o que pensar.

Contudo, confesso que continuo a ver em meu redor pessoas a tomar o pequeno almoço fora todos os dias, a comprar roupas de marcas caras, a viajar amiúde, inscritas em ginásios caros, a ir ao cinema duas vezes por semana, ao cabeleireiro e manicure todas as semanas...Consomem-se gadgets a uma velocidade imensa...devo ser das poucas pessoas que não tem uma Bimby ou uma Wii.

E acho que fazem muito bem...quer dizer...cada um gere o seu dinheiro como melhor lhe aprouver, certo? Eu também faço o mesmo, ora bem!

Mas...será que é isto a tal pobreza envergonhada?
Ou muitas pessoas ainda não se aperceberam que a "coisa" está mesmo complicada?
Ou então, na verdade, não estamos assim tão mal?

E seria óptimo se fosse esta última hipótese: gosto pouco do discurso do coitadinho ou do discurso do gênero: "Ai fala-se na crise mas os hotéis estão todos esgotados...". Por mim e no que a mim me diz respeito, que se esgotem os hotéis e restaurantes todos e que não haja vagas nos Spas durante meses! Seria óptimo!

Mas...e a crise?
Xo,Xo, F.

11 comentários:

S* disse...

As lojas nunca venderam tanto... é crise é crise, mas não se vê.

Luazzinha disse...

Olá :)
Eu ao contrário de ti vejo muita crise á minha volta... vejo o meu pai a não conseguir aguentar a empresa... vejo os meus pais a fazerem contas á vida e a deixarem de fazer coisas que faziam antigamente... a rever preços...
Vejo me a mim num supermecado a pensar duas vezes se devo comprar isto e aquilo... vejo me a não ir ao cabeleireiro pois o valor que vou gastar tenho medo que me falte... mas sobretudo vejo a crise na oferta de trabalho... o filipe ja esteve um ano desempregado... depois trabalhou 9 meses e qd acabou o contrato mandaram no embora e la volta ele a ficar desempregado e desesperar por um trabalho... Na minha opiniao a verdadeira crise está em encontrar trabalho pois hoje em dia ou tens muita sorte ou então tens muito boas cunhas... e mesmo assim nada te garante que no final do contrato de 6 ou 9 meses não te mandei embora e voltes novamente para o desemprego....

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

S*
E felizmente que assim é...tal cm digo...era bom que toda a gente pudesse manter ou melhorar o estilo de vida...

Andreia
Compreendo tudo o que dizes e lamento que assim seja...Mas eu antes da crise já pensava duas vezes no supermercado...antes da crise ja levava comida para o trabalho...Já não ía ao cabeleireiro amiúde. Só assim consegui amealhar.

Compreendo essas dificuldades que falas, porque eu já passei por elas, mas passei a sério...não tinha consolas de jogos, nem tv a cores,nem ía comer fora, nem passear ao fim de semana, nada disso!Nada!

Tu que estás no ramo com certeza vês o mesmo que eu: casamentos detalhados ao milimetro: são coros na Igreja, são refeições de 15 pratos, é tudo feito por encomenda...e ainda bem que assim é...mas então de que se queixam as pessoas?Percebes? ;)

Anónimo disse...

eu tb não tenho Bimby ou uma Wii.
bj, flecha

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Flecha
...mas tens uma torradeira que eu bem sei ;)Ah pois éeeeeee

Luazzinha disse...

Eu tb sempre tive o dito juizo ao gastar dinheiro, mas agora sou obrigada a ter mais... Claro que ainda há gente com dinheiro e nem todos sentem a crise... os ricos serão sempre ricos... quem sente mais a crise são aqueles que foram afectados pelo desemprego... aí sim é MUITO COMPLICADO.... Pois quando deixa de entrar um salario em casa , ou o salario da outra pessoa é mt bom ou então estão completamente lixados... As pessoas que vão tendo 2 salarios vão se queixando da crise dos aumentos e tal, mas não sentem tanto qt um casal que tem apenas um salario.... Mas ainda existe muita gente que se queixa de barriga cheia isso é certo... tal como existe muita gente a ir buscar comida a associações ou a receber rendimentos minimos quando á porta têm grandes carrões... Enfim ... haverá sempre injustiças... Mas existe muita gente a sofrer verdadeiramente com a crise... e acredito que com estes cortes de subsidios de natal e ferias muita gente vai deixar de pagar seguros, de conseguir pagar os livros dos filhos, de pagar contas em atraso que ainda vão ficar mais atrasadas... Uma coisa te digo tenho muito medo do futuro e dou graças a deus por não ter um filho neste momento, pois não sabia como havia de o alimentar e dar lhe o essencial.

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Andreia
Concordo com o que dizes (embora isso dos dois salários é muito-tanto- relativo...) e mantenho o que disse.

O que eu sinto e vejo retrata a minha experiência (e não, não penses que sou rica...e se fosse teria orgulho em sê-lo porque certamente não o teria roubado), não posso falar do que não vejo e de que apenas tenho conhecimento.

Tenho a certeza absoluta que ha pessoas na miséria (não ponho isso em causa um segundo!!!) e rezo por elas todos os dias, garanto-te e na medida do possível ajudo, embora a minha ajuda seja uma gotinha no oceano. :(

E sinto-me abençoada por estar empregada, já o disse várias vezes, embora seja um emprego em que mantenho ainda a situação em que "hoje estou empregada, mas amanhã posso já não estar" (literalmente).

Mas cada vez vejo também pessoas que passam o tempo a queixar-se, a queixar-se que estão mal, e depois vem-me pedir conselhos sobre gadgets e férias.E é sobre isso que fala o meu post, sobre essas pessoas que cada vez cruzam mais o meu caminho.

Porque qt ás pessoas que estão MESMO mal, essas nem me atrevo a falar. Apenas rezo por elas e respeito-as.

sonia disse...

Tens toda a razão!
Na minha familia temos portanto os queixinhas que se queixam da crise, mas que apesar de estarem desempregados não abdicam do geladinho semanal a 5 euros/pessoa, nem da sunhas de el, nem do cabeleireiro ou do lanche nas gelaterias...que trazem MIL coisas para casa...

Não percebo...eu queixo-me!!!Tenho um bom emprego, conto os tostões, corto-me em restaurantes e cafés (porque pagar 1,80 euros por um expresso, é dose!), não me corto nas unhas nem no cabeleireiro, mas jà cortei em férias! Não temos subsidios de férias, anseio pelo meu 13 mês para restabilizar as contas...ta dificil juntar ! *

beijinhos

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Sónia
Era mesmo aí que eu queria chegar...infelizmente há pessoas que realmente estão aflitas...mas outras estão apenas com receio de perder a sua vida de marquesas ;)
Olha eu corto nas unhas e cabelo, mas não corto nas férias, mas também não me queixo, seria imoral faze-lo, porque ainda não sinto aflição...vamos a ver se melhores dias virão, espero que sim!

salto para a lua disse...

também não tenho uma bimby e uma wii porque simplesmente não me fazem falta nenhuma. não cozinho o suficiente para a bimby e prefiro o ginásio à wii. já somos 2 então ;) mas achei este teu post interessante o suficiente para comentar! dizes muito bem, vamos a qualquer lado e só se vê gente a comprar, a gastar, gente desempregada nos cafés a consumir mais do que nós certamente. a crise? quando a vires avisa-me, combinado?

beijinhos

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

salto para a lua
Precisamente :)
mas espero não chegar a ver a crise assim tão, tão de perto...era mau sinal...vou vendo no dia a dia, mas continuo na minha:nada comparado com o que as pessoas se queixam!Ainda ontem dizia uma moça no Facebook que agora tinha que levar comida para o trabalho...Agora? Querida, eu já levo há mais de 8 anos, tá? ;-)