23 dezembro 2014

E nesta época fico ainda mais introspetiva

By, [miss]Framboesa
Amo-te Pe.
Xo,Xo, F.

Um questão de narizes

By, [miss]Framboesa
Se por qualquer motivo culinário precisarem de drageias de chocolate vermelhas para fazer narizes de Rudolfo (tipo M n' Ms de chocolate), não comprem Pintarolas: as drageias vermelhas são de uma cor esbatida e ía parecer que os vossos Rudolfos tinham focinhos de porco. Os Lacasitos são de um vermelho aceitável e as mais vermelhas são M n M's, mas são mais caras que as outras. Não testámos mais marcas, mas prometo que para o ano faço um estudo de mercado exaustivo.

(Framboesa, a salvar natais desde 1977)
Xo,Xo, F.

Feliz Natal!

By, [miss]Framboesa

Xo,Xo, F.

15 dezembro 2014

Espirito natalicio

By, [miss]Framboesa
Nós, esparramados no sofá, podres, sem árvore, sem velas, sem coisa nenhuma natalícia (fora o presépio, o tal que é outra história) ele com gripe, eu cheia de dores de costas.

Ele-Há medicamentos em todas as superfícies da casa...
Eu-São as decorações de Natal de todas as cores, formatos e feitios, já que não temos mais nenhumas ...parece que este ano não temos Natal... :(
Ele-Temos pois! É o "Natal dos Hospitais"!
Xo,Xo, F.

09 dezembro 2014

O Atomium, as gaufres e o cheiro a chocolate belga

By, [miss]Framboesa
E diziam-me que Bruxelas não tinha muito que ver, que um dia bastava, que era feia que doía, que os belgas eram antipáticos (conhecem os parisienses? e os nova iorquinos? ui, aí é que íam ver o que era antipatia...) ... O que é certo é que esta escapadinha foi muito, muito boa...Não tanto pela cidade em si, não podemos comparar Bruxelas a Londres, ou Roma, em que tropeçamos em monumentos em todo o lado e em que tudo é lindo e maravilhoso, mas se levarmos a coisa planeada podemos ser supreendidos pela cidade do "Manekinho" e das batatas fritas. E nós levávamos.

Começámos a escapadinha com uma noite em Brugges...uma vila com canais saída de um conto de fadas, com casinhas engraçadas, cisnes por todo o lado, chocolatarias e uma língua estranha que não compreendíamos (valha-nos o inglês, "portunhol" e "françuguês"). Ficámos num pequeno hotel, típico, antigo, cama de dossel (dissemos logo que para um local assim queriamos algo condicente, sem a impessoalidade de um Ibis) que podia bem ser a casa da avó centenária de alguém e fomos recebidos com um grande sorriso e simpatia pela dona. Deambulámos pelas ruelas, perdemo-nos, passeámos no mercadinho de Natal, fomos ver os moinhos, comemos comida típica, ouvimos os carrilhões de 15 em 15 minutos (receámos que de noite tocassem de 15 em 15 minutos, já que o nosso quarto tinha vista direta para a torre...á noite não tocam...ufa!) andámos de barco e deslumbrámo-nos com cada recanto que parecia cenário de filme.Repetiamos constantemente que aquele local não existia de raiz, tinha certamente sido construido para deslumbrar os visitantes. 

Rumámos a Bruxelas e chegámos já ao fim da tarde...as primeiras impressões não foram as melhores. A máquina do passe de transportes não funcionava, não davamos com as estações certas no metro, estavam em obras junto ao nosso hotel...

Mas depois tudo foi melhorando e aprendemos a gostar desta cidade cujas atrações e segredos têm que ser desvendados. 


Fomos ao Parlamento Europeu e vimos in loco a sala onde são tomadas as decisões que tanto nos afetam, visitámos igrejas enormes, vimos a Torre de Belém em miniatura na Mini Europa (e eu tirei 85649 fotos ao Big Ben), admirámo-nos com o tamanho do Atomium, fomos ao Museu de BD (visitar os Estrunfes e o Tin-Tin) e ao Museu Magritte (constatar a loucura que ía naquela cabeça), subimos o elevador dos Maroles (e mesmo assim não conseguimos uma foto que captasse o Palácio de Justiça, o edificio maior da Bélgica e um dos maiores do Mundo!), passeámos na Rue Neuve repleta de gente ás compras (onde fiz logo umas comprinhas com saldos da Black Friday) e no Parque Cinquentenário com o grandioso Arco do Triunfo, descobrimos murais de Bd nos locais mais inóspitos. Estivemos no Mercado de Midi de Domingo (vimos bifanas e "mines" a vender!) e no mercado Jeu de Balle com milhares de velharias e tarecos engraçados.

E fomos ver o Manneken-Pis pois claro (e a Jeanneke Pis, a menina...esquecemo-nos foi de ver o cão, o Zinneke Pis)...mas nunca o vimos em pelota, estava sempre com uma fatiota diferente...devia ser do frio!

E as comezainas? Oh senhores, batatas fritas gordas por todo o lado, cheirinho a gaufres pelo ar onde quer que fossemos...Provámos as moules-frites,o stoemp com salsicha, a carbonade flamande, as bolachas speculoos, os cuberdons e os bombons...Nunca vi tanta casa de bombons por metro quadrado!

Á noite a Grand Place (maravilhosa!) ganhava vida com um espetaculo de som, luz e cor e os Mercados de Natal eram invadidos por cheiro de vinho com especiarias e chocolate quente, salsichas grelhadas e muitas guloseimas. O ambiente festivo era contagiante e coincidente com o meu imaginário natalício.

Ao contrário do que esperávamos os bares e as esplanadas estavam sempre cheias de pessoas animadas (e é com alguma tristeza que constato que Lisboa é das poucas cidades por esse mundo fora onde não vejo esta agitação pós-laboral 7 dias por semana...).

Foram uns dias muito divertidos que superaram as nossas expetativas...e agora começamos a sonhar com as mini férias natalícias de 2015 ;)
Xo,Xo, F.

01 dezembro 2014

Na Flandres

By, [miss]Framboesa

E o que se faz quando se deixa juntar prendas em atraso, pneus do carro para tratar, inspeção do dito, trapalhadas com a Meo, assuntos paralelos, work e tudo e tudo e tudo? (Muitos "tudos" aliás...)
Vão-se passar uns dias a Brugges e Bruxelas, assim a fingir que as coisas se resolvem "de per si" na nossa ausência.

Nota: Não se resolvem. (Mas foi muitooooo fixe!)
Xo,Xo, F.

Cinco razões para ser feliz #6

By, [miss]Framboesa

...Em Dezembro

1. É o mês do Natal (fa-la-la-la-la-lala-la-la)
2. Almoços, festejos, jantaradas natalícias
3. Pequeno almoço de fatias douradas
4. O calor que se sente nestes dias.O humano <3
5. A antecipação da Noite de Reveillon