30 junho 2011

Os imortais

By, [miss]Framboesa
 (daqui)

Nós, que somos imortais, nós que estamos vivos e por isso nos presumimos imortais, nós que temos a imortalidade toda condensada no segundo que passa, no instante que se consome aqui e agora, nós avisamos toda a gente que se pode morrer por não usar cinto de segurança. Nós, donos supremos e absolutos da moralidade, da perfeição, da conduta irrepreensível, nós que nunca tivemos relações sexuais sem preservativo, nós que nunca pusemos um cigarro na boca, nós que não comemos enchidos nem pão com manteiga, nós que deixámos de comer carne de vaca e depois aves e depois pepinos e deixaremos de comer o que tivermos que deixar de comer, nós que não damos batatas fritas com ketchup aos nossos filhos, nós que sustemos a respiração quando nos passeamos numa cidade poluída, nós que nunca passámos um risco contínuo nem um semáforo vermelho, nem excedemos jamais o limite de velocidade e nunca, nunca nos esquecemos de dar o pisca, nós que nunca tivemos um ato irrefletido, irresponsável, imponderado, incorreto, inconsciente, precipitado, nós que trabalhamos arduamente em cada segundo das nossas vidas para sermos eternos, nós que conseguimos fazer o tempo estancar, as doenças reverterem, a má sorte afastar-se. Nós, os grandes e legítimos juízes do comportamento dos outros, condenamos a estupidez do miúdo dos Morangos com Açúcar, que tinha o carro e o corpo que gostávamos de ter, porque, rais'parta!, não levava cinto de segurança. Se levasse, seria perfeito e imortal, como nós.

A minha Avó A.

By, [miss]Framboesa

Durante grande parte da minha infância fui criada pela minha Avó materna, a Avó A. 
A Avó A. era uma boa Avó à maneira dela, mas tinha um modo muito próprio de encarar o Mundo e a vida. Achava que deviam existir regras para tudo, muito respeitinho e contenção e sobretudo que as meninas não andam aos saltos e a "gargalhar" pela rua fora.

A Avó A. nos dias de Verão enfiava-me num tanque com a água um pouco acima dos joelhos e esfregava-os até à exaustão para desaparecer o "sujo", "sujo" este que eu arranjava por andar "de rojo" a brincar e "andar sempre com a cabeça no ar a pensar em maluquices". Mas o "sujo" nada mais era que o tom natural bronzeado que eu tinha quer nos joelhos, quer nos cotovelos, por isso nunca desaparecia como ela queria. Então quando estavam quase vermelhos de tanto esfregar, ela lá se resignava e dizia "Vá por hoje já quase desapareceu, amanhã lava-se outra vez".

A Avó A. não gostava que eu andasse com o cabelo solto...não era coisa de menina de bem.Como naquela altura não tinhamos cá dinheiro para ganchos e elásticos "pipis", e os poucos que compravamos eu arranjava maneira de perder, a Avó A. prendia-me o cabelo (penteva-me com a parte mais fina do pente) num airoso rabo de cavalo com atacadores de ténis. Claro que me debati contra esta situação: tinha lá algum jeito eu chegar à escola com atacadores na cabeça... Como não a consegui demover, comecei a tirar o dito a meio caminho da escola e voltava a atar antes de regressar a casa. E pronto, ela ficava toda feliz por eu andar tão bem aprumada na escola.

Detestava que eu me fosse "enfiar na casa dos meus primos" mal a minha mãe chegava do trabalho ao fim da tarde e eu tinha "ordem de soltura", porque não lhe parecia bem uma menina decente andar na casa dos outros.

E bebia caldo (uma bebida feita á base de farinha torrada), deixava-me pentea-la e pintar-lhe as unhas, via ballet comigo na Tv (e escandalizava-se com as collants dos bailarinos a apertarem as suas "merendeiras") (lol), levava-me a passear na zona de mão dada com ela, ía comigo aos grilos, lírios, papoilas e amoras.
Usava combinação com a renda a aparecer, deixava-me tentar ensina-la a ler e escrever, fazia fritos de Natal, tinha um jeito fora de vulgar para jardinagem, um sotaque acentuado do Alentejo e ria-se das minhas parvoices.

Hoje acordei a pensar nela, na minha Avó A. de quem eu herdei o nome.(Beijinhos Avó!)

Xo,Xo, F.

Devo estar a guardar-me para a nova colecção

By, [miss]Framboesa
E uma pessoa vai absorvendo nos blogs a alegria exacerbada com a colecção desta e daquela, que é como quem diz da Mango, da Blanco, Zara, Lanidor e afins...E é a histeria, o pânico por não conseguirem largar as lojas sem o braços carregados de sacos, a tristeza sem fim por não poderem adquirir a saia em 5 tons diferentes, a angústia pelos sapatos rosa bébé... E não são só os blogs, também o Facebook nos bombardeia com as notícias bombásticas das colecções...coisas nunca vistas, nunca sonhadas...Mais as revistas femininas...é a loucura total...Yuhuuuu!

E depois vai ao Shoppng, corre todas as lojas da moda e ao vivo e a cores não encontra uma única peça que valha a pena.Uma só.
O defeito só pode ser meu.

P.S. Já no fim de semana passado, lá para terras de Islantilla, podia perfeitamente trazer 7 pares de sandálias que mesmo assim deixava lá ficar outros 15 pares fantásticos.Trouxe um, vá lá.
Xo,Xo, F.

28 junho 2011

Hidratada!

By, [miss]Framboesa
Eu sei, a uma diva ficaria tão melhor aconselhar o mais recente creme Christian Dior ou um tratamento num Spa para lá de caro, mas pronto, foi o que se pode arranjar: um dos meus cremes favoritos de há uns anos para cá (creme Deliplus à base de azeite) e o novo favorito há sensivelmente 2 dias e meio (creme Deliplus com óleo de argão), respectivamente por 1,50€ e 1,80€ (200 ml).
Ambos super hidratantes, de rápida absorção; especialmente o de argão deixa a pele com um aspecto muito, muito saudável.


Vendem-se nos Supermercados Mercadona, em Espanha. 
Se forem até terras de nuestros hermanos ou até perto da fronteira, aproveitem ;)
 Xo,Xo, F.

Haja galo

By, [miss]Framboesa

Sim, passeámos na praia, tapeámos e petiscámos, "esplanadámos", e tudo e tudo e tudo...Mas dormir à noite, népias...nem mesmo depois de almoço que com o calor que estava sabia tão bem...

Temos vizinhos novos... não percebemos se eram dois ou três, mas fizeram questão de nos azucrinar a cabeça quer de noite, quer de dia quando estávamos em casa (tenho a certeza que quando estávamos no laréu nem piavam) … Galos esganiçados com dificuldade em distinguir o nascer do por do sol (ou as 3 da tarde das 4 da manhã…) …
O Mike ameaçou por diversas vezes termos uma “conversa” com os galos, mas lá nos fomos aguentando enquanto estes cantavam (berravam) esganiçados ao despique a qualquer hora do dia (e da noite … e da noite…).
Espero que em Setembro já tenham mudado de poiso ou tenham acertado o relógio.
Ou isso ou galo no forno para o jantar.
Xo,Xo, F.

20 junho 2011

Qualquer coisa de leve, muito leve

By, [miss]Framboesa
Acabei de ler o Livro Inquietude de William Boyd. Não é que não tenha gostado, até engracei com o enredo de espionagem com uns toques de romance e documento histórico, mas estou numa fase em que me apetece ler coisas levezinhas, levezinhas, sem muitos detalhes culturais ou recurso a muitos factos científicos...
Posto isto estou a ler "Delírios de consumo na 5.ª Avenida" de Sophie Kinsella e parece-me que os meus neurónios vão descansar ainda mais nos próximos tempos já que a minha lista de livros a ler andam todos à volta da temática "soft & pink"...É a minha maneira de inaugurar a silly season.
Xo,Xo, F.

16 junho 2011

Efeito Pavlov

By, [miss]Framboesa
Já ao fim do serão, ouço o som do elevador a parar no hall do nosso andar e automaticamente sorrio e olho por cima do ombro na direcção da porta.
E no dia seguinte volta a acontecer o mesmo.
Xo,Xo, F.

Spotted!

By, [miss]Framboesa

...e a sequência escaldante no fim do episódio de Terça entre a Blair e o Chuck ("Gossip Girl")?

Até se me arrepelaram os cabelos da nuca :)
Xo,Xo, F.

15 junho 2011

Sócio, não me interrompa...estou atarefadissima!

By, [miss]Framboesa
Forrei os armários da cozinha, coloquei decalques nas portas, mudei os puxadores do movel do WC azul, mudei os antiderrapantes do WC salmão, arrumei a dispensa de uma ponta à outra (tanta tralha!), reorganizei os móveis das casas de banho, da cozinha, os sapatos e a roupa. Tenho imensa coisa de parte para doar. É subir escadote, descer escadote, empacotar, rasgar, deitar fora...Coloquei algumas coisas em caixas decorativas e cestos.Falta-me organizar o escritório, os cd's e algumas gavetas do quarto e cozinha. Vou comprar uma lata para o pão ( a nossa está cada vez mais velhota). E já imaginei os japoneses novos da cozinha.

Os meus serões têm sido assim, ocupados. Especialmente tentando manter a cabeça ocupada.

P.S. Esqueçam lá o ginásio...há semanas que não me sentia tão dorida
Xo,Xo, F.

#1 DJ Frambô "in da house"

By, [miss]Framboesa

Ouço a Radio Comercial, a Mega FM, hip-hop, house, Eminem e Nickelback...

...e a TSF, os Nocturnos de Chopin, Michael Bublé e Fado
Xo,Xo, F.

07 junho 2011

10 coisas que mais gosto na vida

By, [miss]Framboesa
Fui desafiada pela Marina...a ver como vai sair:


Estar com ele...(sempre)


Animais (especialmente pinguins)

 
Viajar (ui tanto)


Sushi  (e pizzas, já agora)


O Outono ... ( e a chuva lá fora)


Os meus pais (pilares da minha vida)


...Rir (esparvoar..."ai-ka-bom"!)


...de ficar no aconchego da nossa casa (e preguiçar muito)


...de ler


...de festejar (tudo) (Natal, Halloween, Aniversários...you-name-it)

Xo,Xo, F.

06 junho 2011

Magia

By, [miss]Framboesa
Aos poucos vou perdendo a capacidade de ver magia na vida. Não a vida como algo mágico, no sentido de ser uma benção! Falo da magia que está nos olhos das crianças e que por vezes nos acompanha na idade adulta... Não sei se tem a ver com qualquer processo de crescimento (tardio, no meu caso, diga-se de passagem) mas por vezes sinto que já não consigo ver para além do que se me apresenta aos sentidos.

Sonho, pois com certeza que sonho, mas já o faço de olhos demasiadamente abertos. Já não tenho tanta vontade (capacidade?) de imaginar cenários cor de rosa ... Como se a vida se apresentasse num mapa como um manto de cores bonito e uniforme e conforme nos fossemos aproximando víssemos as suas imperfeições, defeitos, incongruências com uma nitidez gritante. 

Acho que já nada nem ninguém me consegue surpreender e nem eu consigo surpreender ninguém. Nem a mim própria.
 Xo,Xo, F.

02 junho 2011

Esclarecimento

By, [miss]Framboesa

"Esclarecimento da Ex-DGV:
Tendo em conta as disposições aplicáveis do Código da Estrada, na redacção que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei nº 44/2005, de 23 de Fevereiro, constantes dos artºs 13º, nº 1; 14º, nºs 1 a 3; 15º, nº 1; 16º, nº 1; 21º; 25º; 31º, nº 1, c) e 43º e as definições referidas no artº 1º do mesmo Código, na circulação em rotundas os condutores devem adoptar o seguinte comportamento:


1- O condutor que pretende tomar a primeira saída da rotunda deve:
Ocupar, dentro da rotunda, a via da direita, sinalizando antecipadamente quando pretende sair.


2 - Se pretender tomar qualquer das outras saídas deve:
Ocupar, dentro da rotunda, a via de trânsito mais adequada em função da saída que vai utilizar (2ª saída = 2ª via; 3ª saída= 3ª via);


Aproximar-se progressivamente da via da direita;

Fazer sinal para a direita depois de passar a saída imediatamente anterior à que pretende uitilizar;

Mudar para a via de trânsito da direita antes da saída, sinalizando antecipadamente quando for sair. "

Hummmm...
Qual 2.ª via? Qual 3.ª via? A 2.ª via é a que está mais no centro da rotunda ou fora? Porque não chamar via da direita ou da esquerda? E se a rotunda tiver apenas duas faixas (ou vias) e eu quero sair na 3.ª saída, que é que eu faço?
E a maltinha que faz as rotundas todas por fora e me bloqueiam as saídas?
Posso abalroa-los?
(Posso?) (Assim com ar de Gato das Botas do Shrek)
(...Vá lá...)

Xo,Xo, F.

01 junho 2011

Pepinos caseiros

By, [miss]Framboesa

Venho aqui agradecer publicamente aos meus papás por serem os nossos fornecedores privados de pepinos e afins.
Obrigada!
Xo,Xo, F.

*Grilinhos como somos em nossa casa, estávamos bem lixados se agora não nos pudéssemos atestar com a dose diária de vegetais....

BD :)

By, [miss]Framboesa
Nas minhas deambulações cibernéticas encontrei estes sites/blogs com tirinhas de alguns dos personagens que povoaram a minha infância e adolescência. (Big-Big-Smile)
Alguns já não são actualizados há anos mas as tiras são intemporais...





Xo,Xo, F.